As nossas emoções sempre refletem no sistema cardiovascular

Este tema nos leva a pensar nas palavras e frases que derivam ou nos remetem ao coração. Todas trazem em si emoções, pois a emoção comanda mudanças no ritmo cardíaco. Diz-se: Meu coração pula de alegria... meu coração parou de tanto medo... meu coração está prestes a estourar de tanta felicidade... meu coração ficou entalado na garganta... sinto um peso no coração... eu a tinha perto do coração. Há pessoas ditas “sem coração”, são frias, impiedosas. Se dois amantes se casam, dizemos, “eles uniram seus corações”.


Essas frases nos mostram que o coração é o centro do corpo e das emoções. Ele realmente está no meio do corpo, um pouco voltado à esquerda, nosso lado corporal comandado pelos sentimentos, pois quem comanda o lado esquerdo do corpo é nosso hemisfério direito.


O sentimento, principalmente o amor, está intimamente ligado ao coração. Este é o símbolo do amor e da união. Expressões como “um coração de criança” denota pureza de sentimentos. Quando amamos alguém, “guardamos a pessoa em nosso coração”. Quando somos tocados pela emoção de outra pessoa, somos “pessoa de bom coração”, quando estamos em conflito devemos escutar “a voz do coração”. Pessoas de “coração mole” se entregam aos sentimentos de amor ágape sem restrições. Pessoas consideradas cruéis, frias, “tem o coração duro.”


A palavra “concordar”, significa estar de acordo com o coração do outro, com seus sentimentos, como “discordar” significa estar contra o sentimento do outro, e “recordar” significa trazer de volta o sentimento ao coração. É muito interessante esta conexão entre as palavras e frases, coração e emoção, pois na nossa forma de expressão fica claro que o coração não é só um órgão que bate comandando nossa circulação. Ele é, desde sempre, expresso na linguagem aprendida com nossa mãe, numa fase inicial da vida, onde as emoções e sentimentos comandam as relações mais importantes, que são base para adquirirmos confiança e capacidade de amar ou desconfiança e incapacidade de se entregar ao amor.


Quando falamos em emoção, estamos falando de algo muito corporal, pois é algo que libera hormônios que podem acelerar nosso coração como a adrenalina, ou deixar nosso coração leve e fluindo bem, como a vasopressina. Os sentimentos derivam das nossas pulsões, mas, emoções e sentimentos estão intimamente ligados e expressos nas palavras em seu sentido figurativo.


Não podemos esquecer que somos seres de comunicação. Podemos ter um enfarte ou um acidente vascular cerebral devido às emoções vividas. O estresse, onde há uma liberação intensa de catecolaminas, provoca uma vasoconstrição fazendo com que o coração precise bater com mais força para mandar o sangue para nosso corpo, podendo aumentar a pressão sanguínea. Quando uma pessoa fica muito nervosa, seus vasos sanguíneos fragilizados se arrebentam, e manchas roxas aparecem pelo corpo, isto é, numa linguagem figurativa, os vasos sanguíneos “choram”.


A estagnação de energia agressiva, através da repressão desta, acaba por se descarregar através do enfarte. O coração parece despedaçar-se. O colapso cardíaco é a soma de todos os socos que não foram dados. Precisamos viver nossas emoções, dando vazão aos nossos sentimentos sem repressões, pois somos feitos de carne e osso, irrigados pelo sangue.


Não é a razão que comanda, Schopenhauer já dizia isto. Emoção represada explode o coração; emoção expressa através de palavras e da expressão corporal flui e é absorvida pelo nosso lado racional, assim, podemos elaborar e ressignificar os acontecimentos da nossa vida.


Texto escrito pela Profª. Dra. Denise Hernandes Tinoco


Ficou com alguma dúvida? Envie sua pergunta para rebricpelavida@gmail.com

5 visualizações0 comentário