Pensamentos e sentimentos também influenciam a saúde cardiovascular

Nossos pensamentos e sentimentos estão totalmente ligados as nossas pulsões. Quando o predomínio de nossas pulsões é de pulsão de vida, tendemos a perceber o mundo com mais otimismo, leveza, e isto vai influenciar nossos neurotransmissores e hormônios, contribuindo com a saúde mental.


Quando o predomínio é de pulsão de morte, somos mais pessimistas, exigentes, rígidos, a vida se torna um fardo pesado. Nossos neurotransmissores e hormônios reagem aos nossos pensamentos e sentimentos negativos ou positivos, pois o cérebro não distingue entre fatos externos, pensamentos e sentimentos que são internos.


Nosso corpo reage, como citei acima, produzindo hormônios estressores, como as catecolaminas, ou hormônios que fazem bem ao corpo. Tudo depende do nosso olhar para a vida. Se o pessimismo prevalece, isso incide no nosso sistema imunológico, deprimindo-o, suprimindo-o, ou deixando-o confuso. Mentalmente, provoca depressão e ansiedade.


Os primeiros órgãos de impacto são artérias, coração, além de estômago e intestino. Há vasoconstrição no estresse, o que dificulta o bombeamento do coração, pois as artérias estarão causando resistência, a pressão sobe, o coração precisa fazer muito esforço.


Quando os sentimentos e pensamentos são de ira, cólera, raiva, liberamos noradrenalina, que está diretamente associada ao aumento do colesterol ruim. Liberamos também cortisol, que é antagônico à insulina, provocando aumento do açúcar no sangue.


Precisamos lembrar que os diabéticos geralmente têm transtornos cardiovasculares. Quando os pensamentos são bons, leves, os sentimentos predominantes são de amor, altruísmo, solidariedade, com isso liberamos hormônios como a vasopressina, oxitocina, endorfina, serotonina, e nosso corpo reagirá com mais saúde e melhor qualidade de vida.


Profª. Dra. Denise Hernandes Tinoco

Ficou com alguma dúvida? Envie sua pergunta para rebricpelavida@gmail.com


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Stress