Resiliência

Definição de resiliência: capacidade humana de recuperar e manter um comportamento adaptado após um dano, de se recuperar ou ser imune psicologicamente quando se é submetido à violência de outros seres humanos ou das catástrofes da natureza, crescendo com isto e construindo a partir disto, tendo uma vida ativa e significativa.


Podemos definir também como “característica de personalidade ou recurso de enfrentamento que facilita a superação da adversidade, a sobrevivência ao estresse, e a transcender perdas”. Indivíduos resilientes têm sido descritos como os que possuem um lócus interno de controle, otimismo, significação, força do Ego, autoeficácia, confiança, perseverança, habilidade para resolver problemas, fé e flexibilidade. A resiliência depende da genética e do ambiente que oferecem fatores de proteção.


Estresse, Sistema Imunológico e Resiliência


A maneira pela qual o indivíduo reage não depende tanto dos agentes estressantes, mas dos recursos disponíveis para lidar com eles. A relação mãe-bebê desde o período fetal, a relação familiar, o lugar que é dado à criança na família, são matrizes de identidade na constituição da personalidade com seus mecanismos de defesa. Influenciam diretamente a capacidade de enfrentamento e aprendizagem nas situações adversas, trazendo à tona a resiliência.


Fatores de proteção que favorecem a saúde e o sucesso nas situações adversas são: disponibilidade e amor dos pais, estimulação na infância desenvolvendo habilidades e experiências, psicoterapia, religião.


Fatores de risco que favorecem a doença e o fracasso nas situações adversas são: estresse pré e perinatal, expressão verbal pobre, defeito ou deficiência física, temperamento agressivo, necessidade de controle externo, baixo nível de inteligência, dificuldade de aprendizagem, mudanças puberais, no climatério, desarmonia familiar, mãe estressada e com baixo nível de educação, pobreza, doença mental ou incapacitante na família, pressão constante, ausência de relação mãe-filho positiva, falta de apoio externo, mudanças de país, guerras, catástrofes, acidentes, perdas de pessoas amadas, perdas financeiras, divórcio, abuso sexual, perda de emprego, assalto, uso de drogas, mais de 4 eventos estressantes na vida vividos em um período de no máximo 2 anos.


Fatores que favorecem a resiliência


Acreditar em algo maior do que em si mesmo, bom relacionamento social, autocontrole, flexibilidade, alto nível de inteligência, autoconceito positivo, bom relacionamento familiar, família estruturada, envolvimento com a comunidade, trabalho com amigos, sentimento de segurança, desenvolvimento de habilidades, percepção eficiente da realidade, capacidade de amar a si mesmo, aos outros e à natureza, desprendimento, espontaneidade, autonomia e independência, senso de humor, criatividade, capacidade de negociar, objetivos e planejamento para o futuro.


Pesquisas mostram que situações comuns de estresse, como provas na faculdade, afetam as funções imunológicas, gerando diminuição da atividade das células citotóxicas naturais (células que combatem tumores e infecções virais). O interferon gama, que estimula o crescimento e a atividade das células citotóxicas naturais, diminuiu até 90% durante o período de provas; as células também apresentaram uma resposta pior.


Pesquisas feitas durante 13 anos com pessoas em situação de stress crônico, que cuidavam de um cônjuge com demência, mostraram que estas pessoas apresentaram diminuição significativa do funcionamento do sistema imunológico, tendo doenças infecciosas no trato respiratório.


Amigos e família podem ajudar a pessoa a lidar com este tipo de estresse. Pessoas solitárias tem função imunológica pior. Na AIDS, pesquisas mostram que o espírito de luta e a qualidade de vida influenciam a sobrevida, aumentando-a.


Nos transtornos cardiovasculares, assumir a doença e cuidar de si mesmo, usando medicamentos prescritos pelo médico, fazendo exercícios recomendados, alimentando-se com qualidade dentro do cardápio sugerido pela nutricionista, cultivando amigos, música, relacionando-se bem com a família, aceitando ajuda quando necessário, apresentando bom humor, fé, tendo uma missão a cumprir na vida, é o caminho da resiliência.


Texto por Dra. Denise Hernandes Tinoco


Ficou com alguma dúvida? Envie sua pergunta para rebricpelavida@gmail.com


VEJA TAMBÉM

Psicoterapia na era digital



10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo